CBIE 2024

XXXV Simpósio Brasileiro de Informática na Educação (SBIE 2024)

Coordenador de Programa do SBIE 2024

Prof. Dr. Cleon Xavier Pereira Júnior (IF Goiano) | Lattes | cleon.junior@ifgoiano.edu.br

Profa. Dra. Laura de Oliveira Fernandes Moraes (Unirio) | Latteslaura@uniriotec.br

Coordenadores Gerais de Programa do CBIE 2024

Prof. Dr. Clodis Boscarioli (Unioeste) | Lattes | boscarioli@unioeste.br

Prof. Dr. Rafael Dias Araújo (UFU) | Lattes | rafael.araujo@ufu.br

Datas Importantes: SBIE 2024 - Artigos Completos

27/06/2024 (era 20/06/2024): Data limite para submissão de trabalhos completos (prazo rígido).

A data inicial era 06/06/2024, prorrogada  em solidariedade às pessoas autoras que vivem no Rio Grande do Sul. 

09/08/2024: Notificação de aceitação de trabalhos

19/08/2024: Data limite para envio das versões finais dos trabalhos

26/08/2024: Data limite para inscrição de pelo menos uma pessoa autora por trabalho e envio do comprovante de pagamento de inscrição e termo de autorização de publicação via JEMS 

Datas Importantes: SBIE 2024 - Work In Progress

07/08/2024: Data limite para submissão de trabalhos em andamento, na qual será avaliada a possibilidade de uma única prorrogação.

14/09/2024: Notificação de aceitação de trabalhos

18/09/2024: Data limite para envio das versões finais dos trabalhos

30/09/2024: Data limite para inscrição de pelo menos uma pessoa autora por trabalho e envio do comprovante de pagamento de inscrição e termo de autorização de publicação via JEMS

Apresentação e objetivos

O Simpósio Brasileiro de Informática na Educação (SBIE) é um evento anual promovido pela Comissão Especial de Informática na Educação (CEIE) da Sociedade Brasileira de Computação (SBC). Atualmente, o SBIE é classificado como um evento Qualis A3. Tem como objetivos divulgar a produção científica nacional nesta área e proporcionar um ambiente para a troca de experiências e ideias entre pesquisadores, estudantes, professores e demais cidadãos interessados, nacionais e estrangeiros. O SBIE teve a sua primeira edição realizada em 1990 no Rio de Janeiro e, desde então, tem sido realizado anualmente. A partir de 2012, passou a integrar o Congresso Brasileiro de Informática na Educação (CBIE), sendo um de seus principais eventos.

O SBIE prioriza trabalhos que apresentem a concepção, o desenvolvimento e a avaliação de soluções que utilizem métodos e técnicas de Computação para promoção da aprendizagem e/ou para solução de problemas em temas ligados à Educação. Podem ser submetidos artigos completos ou em andamento nos idiomas português, inglês ou espanhol em uma das trilhas a seguir.

Trilha 1: Metodologias e Tecnologias Digitais para a Educação

Coordenação:
Fabiana Zaffalon (IFSul) | Lattesfabianaferreira@ifsul.edu.br
Tiago Primo (UFPel) | Lattes |  tiago.primo@inf.ufpel.edu.br

Esta trilha inclui os seguintes tópicos, sem estar limitada a eles:

  • Tecnologias ubíqua, móvel, Web, em nuvem e/ou Internet das Coisas (IoT);
  • Repositórios de recursos educacionais digitais;
  • Hardware para apoiar processos educacionais;
  • Arquiteturas pedagógicas para as diferentes modalidades de educação;
  • Ambientes, metodologias e sistemas para autoria de materiais didáticos;
  • Ecossistemas e plataformas digitais de aprendizagem;
  • Metodologias para avaliação da qualidade de recursos e tecnologias educacionais digitais;
  • Métodos, padrões e processos de desenvolvimento de ambientes e sistemas computacionais;
  • Ferramentas digitais e indicadores para avaliação da aprendizagem;
  • Visualização de informação;
  • Tecnologias colaborativas.
Trilha 2: Gamificação, Jogos Digitais, Robótica e Tecnologias Imersivas na Educação

Coordenação:
Luiz Rodrigues (NEES/UFAL) | Lattesluiz.rodrigues@nees.ufal.br
Marcela Pessoa (UEA) | Lattes | msppessoa@uea.edu.br

Esta trilha inclui os seguintes tópicos, sem estar limitada a eles:

  • Ambientes/ferramentas para desenvolvimento de jogos digitais/gamificação/Realidade Virtual (RV)/ Realidade Aumentada (RA)/ Realidade Misturada (RM)/ Robótica/ Simulações;
  • Ambientes/ferramentas para desenvolvimento de jogos digitais/gamificação/RV/RA/RM/ Robótica/ Simulações para promoção de equidade, diversidade e inclusão;
  • Método, análise, projeto, desenvolvimento e avaliação de jogos digitais/gamificação/RV/RA/RM/Robótica/Simulações;
  • Avaliação de processos de ensino e aprendizagem a partir de jogos digitais/gamificação/RV/RA/RM/Robótica/Simulações;
  • Desenvolvimento de habilidades metacognitivas por meio de  jogos digitais/gamificação/RV/RA/RM/Robótica/Simulações;
  • Questões sociais e éticas na aprendizagem baseada em jogos digitais/gamificação/RV/RA/RM/Robótica/Simulações;
  • Mundos virtuais 2D/3D e metaversos.
Trilha 3: Fatores Humanos em Tecnologia Digital para a Educação

Coordenação: 
Anna Beatriz Marques (UFC) | Lattes | beatriz.marques@ufc.br
Natasha Valentim (UFPR) | Lattes | natasha@inf.ufpr.br

Esta trilha inclui os seguintes tópicos, sem estar limitada a eles:

  • Design e avaliação da interação com tecnologias educacionais;
  • Modelos, técnicas e métodos para medição do uso, adoção e aceitação de tecnologias educacionais;
  • Estudos empíricos sobre experiência ou impacto do uso de tecnologias educacionais;
  • Design e avaliação de tecnologias educacionais considerando gênero e minorias;
  • Design e avaliação de tecnologias educacionais emergentes (Internet das Coisas, Realidade Virtual e Aumentada, Interfaces de usuário naturais e/ou tangíveis, etc);
  • Design participativo no desenvolvimento de tecnologias educacionais;
  • Design de espaços híbridos de aprendizagem;
  • Design e avaliação de Interfaces de hardware e/ou software para educação especial;
  • Design inclusivo e universal em educação;
  • Design e avaliação de interfaces multimodais;
  • Avaliação de acessibilidade, comunicabilidade, experiência do usuário e/ou usabilidade de tecnologias educacionais;
  • Diretrizes e recomendações de design para a acessibilidade, comunicabilidade, experiência do usuário e/ou usabilidade de tecnologias educacionais;
  • Modelos, métodos e formalismos para o design e/ou avaliação de interfaces de tecnologias educacionais;
  • Tecnologias assistivas;
  • Aspectos sociais, colaborativos, motivacionais e afetivos em ambientes computacionais;
  • Computação afetiva e aspectos socioemocionais em tecnologias educacionais.
Trilha 4: Inteligência Artificial na Educação

Coordenação:
Gabriel Alves (UFRPE) | Lattes | gabriel.alves@ufrpe.br
Jéssica Figueiredo (UERN) | Lattes | jessicaneiva@uern.br 

São bem vindos artigos que utilizem/apliquem inteligência e/ou adaptação para apoiar a educação. Desta forma, esta trilha inclui os seguintes tópicos, sem estar limitada a eles.:

  • Sistemas Tutores Inteligentes;
  • Sistemas baseados em conhecimento para apoiar a educação (ontologias, taxonomias, neuro-simbólico etc.);
  • Agentes conversacionais para apoiar a educação (chatbots, pedagogical agents, entre outros);
  • Sistemas adaptativos para apoiar a educação (personalização, recomendação etc.);
  • Mineração de dados;
  • Big Data;
  • Learning Analytics;
  • Análise de sentimentos;
  • Representação e análise de discurso;
  • Recuperação da informação;
  • Modelagem de contextos: modelos de aprendizes, facilitadores, tarefas e processos de resolução de problemas;
  • Dados educacionais conectados;
  • Ambientes de aprendizagem inteligentes;
  • Apoio inteligente à tomada de decisões;
  • Ética, Explicabilidade, Transparência, Auditabilidade e Justiça na IA;
  • IA Generativa.
Trilha 5: Tecnologias Digitais para o Desenvolvimento do Pensamento Computacional e da Educação em Computação

Coordenação:
Pedro Henrique Valle (UFJF) | Lattes | pedrohenrique.valle@ufjf.br
Williamson Silva (UNIPAMPA) | Lattes | williamsonsilva@unipampa.edu.br

Esta trilha é fruto da convergência entre duas áreas: a Educação em Computação e a Informática na Educação. Recomenda-se fortemente a leitura do artigo “Tecnologias na Educação em Computação: Primeiros Referenciais”, disponível neste link.

Nesta trilha, priorizam-se os trabalhos que se situam na fronteira da Informática na Educação com a Educação em Computação. Esta trilha inclui a discussão, uso, aplicação, adoção de:

  • Tecnologias Digitais para Ensino-Aprendizagem de Pensamento Computacional conforme a BNCC;
  • Tecnologias Digitais para o Desenvolvimento do Pensamento Computacional em diferentes níveis da educação;
  • Computação Desplugada para o Ensino-Aprendizagem de Pensamento Computacional;
  • Tecnologias digitais sobre ferramentas para interação, mediação ou avaliação de Pensamento Computacional;
  • Tecnologias Digitais para Inclusão, Acessibilidade e Diversidade na Educação em Computação e Pensamento Computacional;
  • Tecnologias Digitais para o Ensino-Aprendizagem de Educação em Computação;
  • Tecnologias Digitais para apoiar o Ensino de Metodologias Ativas, Computação Criativa e  Aprendizagem Colaborativa de Computação em diferentes níveis da Educação;
  • Tecnologias Digitais para Avaliação da Educação em Computação;
  • Tecnologias Digitais para a Gestão da Educação em Computação;
  • Tecnologias Digitais para a Educação em Computação nas modalidades presencial, semipresencial e/ou a distância;
  • Aspectos Sociais, Humanos e Econômicos das Tecnologias na Educação em Computação;
  • Tecnologias Digitais para Educação em Computação Aberta e Livre (REA e MOOC), e Objetos de Aprendizagem (OA);
  • Gamificação, Jogos Digitais, Robótica e Tecnologias Imersivas no contexto da Educação em Computação;
  • Inteligência Artificial no contexto da Educação em Computação;
  • Fatores Humanos em Tecnologia Digital no contexto da Educação em Computação;
  • Tecnologias Digitais para a evasão e retenção em cursos de Computação;
  • Tecnologias Digitais para a formação de professores para a Educação em Computação;
  • Tecnologias Digitais para Extensão em Computação.

Orientações gerais

Um artigo de alto impacto no SBIE deve apresentar uma abordagem teórica e empírica com respeito à identificação do problema, o design da solução/investigação, os métodos usados durante a coleta de dados, e uma análise de resultados com base empírica. Recomendamos observar com atenção os procedimentos metodológicos. Para isso, sugerimos a leitura dos livros de metodologia editados por nossa comunidade e disponíveis em metodologia.

Ética em Pesquisa

Ao submeter seu artigo, as pessoas autoras se declaram responsáveis por qualquer aspecto do trabalho envolvendo estudos com pessoas e por conduzi-los seguindo as normas e diretrizes éticas da pesquisa, inclusive com a aprovação de todos os órgãos relevantes, quando necessário. Para salvaguardar os direitos e a dignidade dos participantes da pesquisa, ao relatar estudos com humanos, é importante que os artigos informem os cuidados éticos. Espera-se também que os trabalhos estejam conforme às Normas e Diretrizes Regulamentadoras da Pesquisa Envolvendo Seres Humanos – Resolução CNS n.º 466/2012, Norma Operacional 001/2013, Resolução CNS n.º 510/2016 e Resolução CNS nº 674/2022 (para pesquisas nacionais). Também é desejável, caso possível, que seja informado o número de aprovação no Comitê de Ética (institucional ou nacional) na versão final e indicação da existência deste número na versão de submissão (mas suprimido, para preservar o anonimato na revisão). 

Os trabalhos submetidos não devem ter sido publicados anteriormente e nem estar em processo de avaliação ou edição para publicação em outro evento, ou periódico. Além disso, cada artigo deverá ser submetido para apenas uma trilha. Os artigos submetidos para mais de uma trilha serão imediatamente rejeitados.

Modelo de submissão e limite de páginas

As submissões deverão ser feitas em uma única etapa e devem ser realizadas no formato exclusivamente digital, em arquivos no formato PDF, através do sistema JEMS. Todas as submissões devem, obrigatoriamente, seguir o modelo para publicação de artigos da SBC. Algumas normas adicionais devem ser observadas:

  • Os trabalhos completos deverão ter entre 10 (dez) e 12 (doze) páginas, incluindo tabelas, figuras e excluindo as páginas com Agradecimentos, Disponibilidade de Artefatos e Referências Bibliográficas;
  • Os trabalhos em andamento (Work in Progress) são uma novidade de 2024 e deverão ter entre 06 (seis) e 08 (oito) páginas incluindo tabelas, figuras e excluindo as páginas com referências bibliográficas. Além disso, algumas observações devem ser feitas para esta modalidade:
    • São esperados trabalhos em andamento, porém que já contenham resultados iniciais;
    • O trabalho deve explicitar os próximos passos da pesquisa;
    • Não serão aceitos trabalhos que são somente propostas sem nenhum resultado inicial.
Anonimização

No artigo não deve constar nenhum tipo de identificação das pessoas autoras e instituições. Ao longo do texto, deve-se também ter o cuidado de omitir qualquer tipo de informação que permita a identificação de autoria. A seguir, algumas sugestões para o processo de anonimização:

  • As citações a trabalhos relacionados devem aparecer em terceira pessoa. Por exemplo, deve-se escrever “o trabalho anterior de Silva et al.” em oposição ao “em nosso trabalho anterior”. Deve-se também evitar a ocorrência de termos que possam identificar autoria, por exemplo, “nós”, “nosso”, “financiamento”, “Universidade”, “github” etc.;
  • O artigo submetido não deve mencionar artefatos em repositórios ou websites que permitam a identificação das pessoas autoras. A disponibilização de artefatos da pesquisa deve ser feita de forma anônima. Para anonimizar repositórios hospedados na plataforma GitHub, sugere-se o uso do serviço anonymous (https://anonymous.4open.science/);
  • Se o artigo submetido apresentar uma evolução de um trabalho anterior, pode-se anonimizar a referência a esse trabalho. Por exemplo, “baseado no trabalho de Silva et al.” pode ser substituído para “baseado em nosso trabalho anterior [Ref]” e a referência pode ser apresentada como “[Ref] referência omitida devido à revisão anônima” na seção de referências bibliográficas.
Política de Ciência Aberta

O SBIE incentiva a adoção de princípios e práticas de Ciência Aberta, buscando promover a transparência, a replicabilidade e a reprodutibilidade na pesquisa. Nesse contexto, espera-se que as pessoas autoras forneçam uma declaração explícita sobre a disponibilidade de artefatos no artigo submetido em uma seção não-numerada intitulada “Disponibilidade de Artefatos” após a seção de “Conclusão”, indicando o local de depósito dos artefatos de pesquisa. Ressalta-se que a disponibilização de tais artefatos não é obrigatória e não será utilizada como critério para aceitação ou rejeição de artigos. Além disso, esta seção não contará no limite de páginas. No link a seguir você encontrará mais informações: https://help.osf.io/article/342-getting-started-on-the-osf

Código de Conduta da SBC e uso de IA Generativa

A SBC atualizou o seu Código de Conduta para pessoas autoras de publicações da SBC. Na parte II, Art. 2º, temos que:

III – Uso de Inteligência Artificial (IA) Generativa: a utilização de ferramentas e tecnologias de IA Generativa para geração de conteúdos, na escrita e/ou revisão do conteúdo de artigos, deve ser declarada explicitamente no trabalho. A declaração pode ocorrer na Seção de Agradecimentos, na metodologia ou em uma seção definida especificamente para este fim, de acordo com o template adotado, e deve listar as ferramentas e descrever onde foram empregadas, por exemplo, textos, tabelas, gráficos, citações, etc. Essas ferramentas não podem ser listadas como autores de um artigo. O uso de tais ferramentas não exime os autores da responsabilidade sobre todo o seu conteúdo, inclusive no caso de ser identificado plágio.

O manual completo encontra-se disponível em: https://sol.sbc.org.br/index.php/indice/conduta

Avaliação, Critérios de Revisão e Requisitos para a Publicação

Assim como os artigos devem ser enviados sem identificação de autoria ou instituições, a revisão será feita por pares sob o sistema de revisão anônima, conforme os seguintes quesitos:

  1. Originalidade: Originalidade do tema/solução/abordagem utilizada pelas pessoas autoras.
  2. Contribuição: Grau de avanço frente ao estado da arte em Informática na Educação.
  3. Adequação do método científico: O trabalho foi bem planejado, executado e descrito cientificamente? As pessoas autoras discutem claramente o método científico e sua escolha em relação a outras alternativas? A metodologia científica foi adequada e eficaz na avaliação do trabalho?
  4. Aderência ao evento e aos tópicos da trilha: O artigo se encaixa ao SBIE? O artigo se encaixa nos temas da trilha? 
  5. Qualidade da escrita, da organização e da apresentação: É fácil de ler e entender? O uso da norma culta da língua portuguesa está correto? O artigo está bem estruturado? O texto está bem encadeado? A formatação está adequada segundo o modelo da SBC? O tamanho do artigo corresponde à chamada? As referências estão completas e segundo as normas?
  6. Referências a trabalhos similares: O artigo realiza uma análise coerente de trabalhos similares? Posiciona sua contribuição frente a estes trabalhos? As referências são atuais e relevantes?

Antes mesmo de iniciar a revisão, as submissões que não estiverem finalizadas (com os dados solicitados pelo JEMS e o arquivo correspondente devidamente submetido segundo as regras estabelecidas) serão imediatamente rejeitadas.

Para viabilizar a participação no evento, a organização do CBIE 2024 poderá emitir declaração.

O artigo aprovado será publicado nos anais do SBIE, desde que:

  1. Pelo menos uma das pessoas autoras efetive sua inscrição no evento no prazo indicado, seguindo as regras de inscrição;
  2. Seja paga uma taxa de publicação por cada artigo aceito;
  3. As pessoas autoras incluam na versão final seus dados (nomes, afiliações e e-mails, bem como demais informações necessárias ao artigo – ex., citações a outros trabalhos das pessoas autoras), bem como com as correções sugeridas pelos avaliadores.
  4. Envio do termo de autorização para publicação.
 

Publicação de Trabalhos

Os artigos aceitos serão publicados na SBC Open Lib, a biblioteca digital da SBC. Os artigos completos serão publicados na série Anais do Simpósio Brasileiro de Informática na Educação (SBIE), ISSN 2316-6533, disponível em https://sol.sbc.org.br/index.php/sbie. Os artigos de trabalhos em andamento (work in progress) serão publicados na série Anais Estendidos do Simpósio Brasileiro de Informática na Educação (SBIE), disponível em https://sol.sbc.org.br/index.php/sbie_estendido. Todos os artigos serão indexados com DOI.

Termo de Autorização da Obra

As pessoas autoras da obra autoriza(m) a SBC a publicá-la conforme os termos da licença Creative Commons Attribution 4.0 International Public License (CC BY 4.0). Dessa forma, fica permitido às pessoas autoras, ou a terceiros, a reprodução, ou distribuição, em parte ou no todo, do material extraído dessa obra, de forma verbatim, adaptada ou remixada, bem como a criação ou produção a partir do conteúdo dessa obra, se forem atribuídos os devidos créditos à criação original. Cópias da obra não devem ser utilizadas de nenhum modo que implique o endosso da SBC.

Efetuar o download do TERMO DE AUTORIZAÇÃO DE PUBLICAÇÃO

Accessibility Toolbar